segunda-feira, 28 de março de 2016

LEITURA POR SMS

Recebo um SMS a recomendar-me a leitura do livro "A arte de não amargar a vida" do psicólogo Rafael Santandreu.
Este médico exerce a sua profissão em Barcelona, local onde  também tem consultório.

No fim do almoço e antes de entrar no edifício onde trabalho, dou um salto à livraria mais perto e pergunto pelo dito livro. A empregada responde que só tinha disponível a versão de bolso. E eu respondo: " ... É isso mesmo, é mais leve e ocupa menos espaço em casa"...

Vou "devorar" este livro nas minhas viagens de metro e em todos os tempos mortos (que são poucos). Confio na opinião dos meus Amigos. Até já e boas leituras.



Resumo da contracapa, (tirado da FNAC):
«O principal inimigo dos psicólogos é o denominado neuroticismo, isto é, a arte de se afligir através da tortura mental. A depressão, a ansiedade e a obsessão constituem os nossos principais inimigos e quando nos deixamos apanhar por eles, perdemos a capacidade de viver a vida em plenitude. A vida é para desfrutar: amar, aprender, descobrir… o que só pode ser feito quando tivermos superado as nossas neuroses (ou o medo, o seu sintoma principal). (…) Costumo dizer aos meus pacientes que o meu objetivo último é torná-los fortes emocionalmente. Essa força permitir-lhes-á desfrutar da vida em plenitude. "Aqui não ansiamos por vidas ‘normais’, cinzentas ou simplesmente estáveis", digo-lhes eu. "Queremos aprender a aproveitar todo o nosso potencial." A neurose é um travão à plenitude e a saúde emocional um salvo-conduto para a paixão e para a verdadeira diversão. É possível aprender! (…) Podemos criar uma vida livre de medos, aberta à aventura, plena de realizações. Quando tivermos transformado a nossa mente, seremos mais capazes de desfrutar das pequenas e grandes coisas da vida, seremos capazes de amar - e de permitir que nos amem - com maior intensidade e teremos uma imensa dose de serenidade interior. Seremos mais como o fotógrafo aventureiro Robert Capa, grande amante da vida, neste caso amantes da nossa própria vida.»


(01) Comentário a 30/03

O livro é bom, recomendo.
Tem todas as teorias que sempre defendi e acreditei e baseada nas quais dei muitos conselhos ao meu redor.
Mas passar da teoria à prática não há livro nenhum que explique essa fórmula mágica - está dentro de nós!

Saliento o excerto:
"... Em geral, a força emocional, o diálogo interior correto, aprende-se na infância (...) Contudo ... em qualquer idade, todos podemos mudar a forma  como pensamos para torná-la mais positiva e construtiva. Todos nos podemos reeducar para a calma e a felicidade (...)
... As pessoas emocionalmente fortes têm um imenso cuidado em não dramatizar nunca as possibilidades negativas da sua vida ...

(02) Comentário a 20/04

O livro relata o caso dos pacientes do autor. Apresenta os casos mais extremos e de como ele conseguiu ajudá-los. Casos de pessoas com problemas físicos ou doenças incuráveis que conseguem ser felizes.
Basicamente ele leva as pessoas a compreenderem que para viver só é necessário água e comida. O resto são desejos, não são necessidades. E os desejos se não se concretizarem não podem trazer infelicidade.
Claro que toda esta teoria é bonita de se ler... mas houve pessoas que conseguiram melhorar de vida com esta teoria. Vamos acreditar...

POÇO

"Não me julguem pelos meus sucessos.
Julguem-me pela quantidade de vezes
que   caí   e   consegui   levantar-me."
(Nelson Mandela)

Neste poço até sabe bem descer ao fundo e lá ficar. É um dos locais mais visitados em Portugal.

Mas nos poços da vida por vezes desce-se muito fundo e dificilmente se encontra o primeiro degrau...
E a subida é lenta e pouco linear... cai-se e volta-se a subir e cai-se e sobe-se ...

terça-feira, 22 de março de 2016

NUNCA DESISTIR


Pensamentos inspiradores para um dia louco, numa semana de loucos.

YES I CAN!


Também gosto deste pensamento:
A nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos,
mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda.
(Confúcio)



No emaranhado de pensamentos recordo a música dos acampamentos de jovens:
"... Oh sorri!
Quando pronto a chorar, sim sorri!
Oh sorri sempre em qualquer lugar..."

segunda-feira, 21 de março de 2016

LISBOA: PARQUE DO TEJO 2

Mais um passeio pelo Parque do Tejo.
Estava maré vazia e não faltaram as aves na paisagem.
Haviam vários Patos, alguns Alfaiates e uma Garça real.
E muitas mais, que não sei classificar, e no meio de todas sobressaiam as que cantavam o mesmo som que já ouvi em passeios à noite no mesmo lugar.
Fiquei a contemplar e a despedir-me do lugar.
Naqueles momentos muitas aves voaram no céu. Vieram bandos dizerem-me adeus,
volta sempre.
 Aqui estão 2 patos a nadar, são os pontos pretos na língua de água formada pela maré vazia.
Na paisagem não faltou a lua (ao centro) e o arco-íris (canto inferior direito).

sábado, 19 de março de 2016

DIA DO PAI

Hoje é dia 19.
Feliz dia do PAI!

Não esquecer que todos os dias podem ser dias do Pai,
desde que o queiramos com força.

Nem sempre os pais estão perto ....
Ou por vezes estão longe estando perto ...

sexta-feira, 18 de março de 2016

UMA AULA DE JUDO

Estou a assistir a uma aula de Judo.

Os profs de Judo gostam de dar sermões aos miúdos.
Mas esta prof disse umas frases muito interessantes. 
Não sei se eles interiorizaram a profundidade das suas palavras:

1) "... Não consigo" - não existe, tenta!

2) "... Estamos toda a vida a aprender"

3) "... quando pensamos que sabemos tudo é quando não sabemos nada ..."

QUE ESCÂNDALO...

Que escândalo.... ui queredo...

Mas ela fez mal a alguém???  Não!!
No limite fez mal a si própria: sujou a sua pele.
Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!! Mas é um escândalo!
Escrever nas mãos??? Isso é para putos, no mínimo.

Mas ela não só escreveu nas mãos, como escreveu nas costas da mão.
Pois claro,
ela já tinha tentado de tudo para se lembrar de fazer aquele pagamento.
Já tinha reminders - vários, alarmes - muitos, ...
E agora ia pagar juros??? Isso é que não faz sentido, e especialmente em tempos de crise.
Pagar juros??
Ela fez bem!
Fez algo radical, mas resultou! E ela fez o pagamento antes das 24h.

Mas mesmo com a mão escrita,
mesmo assim, ela só efetuou o pagamento ao fim do dia, já noite,
e teve de voltar atrás para o fazer.
Realmente ela sabia que era preciso algo radical, para conseguir cumprir aquela tarefa.


Mas fez!
cumpriu o objetivo.

terça-feira, 15 de março de 2016

ALENTEJO: HISTÓRIAS

Será que estou em África???
8 flamingos mesmo à minha frente??? YUPI!!!! O que quero mais?

Realmente não é necessário ir a África!
Basta vir ao Melhor Alentejo do Mundo :)

Mas estou mesmo aos pulinhos de contentamento :) ir dar uma volta de kayak e ver 8 flamingos à frente, sendo um deles de cor rosa choc ... é inédito!

Há anos que venho a esta barragem,
já vi cegonhas,
garças: branca e real,
patos: preto e real,
e outras aves que não sei identificar.

Mas flamingos...não posso acreditar... vi mesmo!! :)
E eram oito!!
Que boa surpresa que tive hoje! Obrigada.
E esta foi a primeira história.





Mas começando pela viagem rumo ao Alentejo, mal termino de passar a ponte Vasco da Gama já avisto uma cegonha nos céus.
Cegonha??
Será que já estou no Alentenjo?
Mas ainda faltam uns bons kilometros de A1 e estradinhas com muitas retas e poucas curvas.
O sol? Esse sim, acompanhou-me a viagem toda.
Bonito dia!

Finalmente chego ao meu Alentejo!
Finalmente tenho um horizonte longínquo,
silêncio das aves,
e tempo, muito tempo...

Momentos de leitura com uma vista incrível de patos na água e coelhos a correr de arbusto em arbusto. Ainda tentámos dar-lhes umas rodelas de cenoura, mas parece que estes não estão habituados a tão saboroso manjar.

E lá fomos dar uma volta de kayak. Sem imaginar a surpresa que íamos ter...

E lá ao fundo começámos a ver algo estranho, parecia uma pequena embarcação. Nunca pensámos que fosse um grupo de flamingos.

E tanto nos aproximámos que eles acabaram por levantar vôo. Era mesmo isso que eu queria, fotografá-los em vôo e ver as suas belas cores.
Eles é que não estavam a perceber bem ;) e permitiram uma boa aproximação.

Mas a seguir vem a segunda história do dia:
Duas aves de rapina começaram a descrever vôos circulares cada vez mais baixo em torno de nós.
Será que somos presas?? :)
Mas quanto mais baixo voavam mais o meu pequenote se apercebeu de que se tratavam de dois falcões.

Regressámos e ainda fomos ver o pôr-do-sol, e com direito a lua.





À noite substituimos o Wifi por uma brincadeira com animais.
Pois, porque aqui neste Alentejo para apanhar rede no telemóvel é preciso subir a um banco :)

Silêncio absoluto!
Silêncio quebrado pela barulheira dos milhares de aves que vêm dormir em cima das águas da barragem.
Silêncio quebrado pelo chilrear das pegas, poupas, cucos, rolas, e outros mais comuns, que nos acordam pela manhã.
Espaço tranquilo e sereno, quebrado pelo correr assustado das dezenas de coelhos que se escondem nas tocas atrás dos arbustos.
Tempo quebrado pelo sol que se põe, a lua que se avista e as constelações que se admiram nos  céus.


No dia seguinte teve lugar a terceira história do fim de semana.
Depois de um belo chá, fomos caminhar.




 E ao sair do mato, do outro lado da barragem vimos ao longe três coelhos a correr para a toca.
Passado cerca de um minuto lá vinha calmamente a senhora rapousa.
Que bela rapousa!
Rapousa é um bonito animal, sim senhora.
Mas ver uma rapousa no seu habitat natural não é muito comum e foi para nós, citadinos, um belo espetáculo.

Obrigada a este "Alentejo", que nos proporcionou tamanhas surpresas.



quinta-feira, 10 de março de 2016

SURPRESAS

Não,
não foi uma flor que comprei para fazer uma surpresa no próximo sábado.
Foi um livro. Um livro que ele vai ler em poucas horas, porque é do seu tema favorito.

Mas ele não faz anos no sábado!
E sábado não é dia de Natal,
nem dia do pai,
nem dia da mãe,
e muito menos dia da Mulher.

Sábado será um dia comum,
mas se um presente oferecer farei dele um dia especial.

Porque todos os dias podem ser Natal.
Porque todos os dias podem ser o dia do pai, da mãe, da mulher, do marido, do companheiro, da companheira, do Amigo, da Amiga, ..., da empregada da limpeza, de toda a gente...

Porque todos os dias eles são importantes para nós.
Porque todos os dias eles são pesssoas,
pessoas com sentimentos,
pessoas que também Amam,
pessoas que também sofrem,
pessoas que também sentem,
pessoas que merecem uma surpresa,
pessoas...

Façamos de qualquer dia um dia especial para alguém igualmente especial!


Um excelente dia de sol para todos :)

segunda-feira, 7 de março de 2016

ERICEIRA

Será uma loja de Surf?
Será uma vila pitoresca?
Ou ambas?

A cadeia de lojas de Surf com a designação de Ericeira nasceu em 1996 com a inauguração da primeira loja nesta vila que lhe deu o nome - ERICEIRA.
Desde então tem sido um sonho que cresceu e se espalhou pelo país, contabilizando atualmente 23 lojas.
PARABÉNS ao sonhador que não se ficou só pelo sonho!!

Mas Ericeira é muito mais que uma loja de Surf.
Ericeira é uma vila com vida e com história.
Atualmente é uma vila turística e muito dedicada ao Surf. Basta dizer que foi na Praia de Ribeira d'Ilhas que decorreu uma das provas do ASP World Tour. Para não falar no tão conhecido MOCHE, que é a principal competição de surf nacional, e também esta conta com provas na Ericeira.

Os surfistas elegeram Ericeira para a prática do Surf porque realmente tem umas ondas diferentes. E muita gente aqui vem passear para contemplar as ondas. Toda a zona costeira ao longo da vila tem bancos de jardim para um descanso com boa vista.
Ericeira é atualmente a única reserva europeia de surf e a terceira melhor do mundo.

Quando aqui se chega realmente cheira a Surf, desde as placas feitas de pranchas, aos vários hostel espalhados pela vila. E ao olhar ao redor ficamos com a sensação de ver fatos de surf pendurados por toda a vila.

Mas nem tudo é SURF...


Eis que chego de carro.
O acesso é muito fácil pois a A21 acaba mesmo na rotunda onde se vira para Ribeira d'Ilhas e Ericeira vila. E depois é só descer e estacionar com vista. (porque é Inverno)
Pois ... alguns casais ficaram dentro do carro a apreciar as ondas. E até lancharam lá dentro.


Hum... mas galinha de campo não quer capoeira ... e lá me equipei para o vento frio e chuviscos, e lá fui ver as ondas, mas mais de perto.
Começo por fixar pontos de referência que me permitiriam voltar ao carro no regresso.
E vou descendo até ao mar.
Ao longe o pequeno farol marcava o objetivo final.

E desço pelas ruazinhas estreitas em direção ao mar.
Quero ver o mar! Quero contemplar o rebentar das ondas!




E cá estou eu sentadinha num dos bancos à beira-mar.
Será que estou bem disfarçada??

Nem tudo é Surf, também existe a zona piscatória, que representa uma fatia importante da economia local.
A região antiga da vila tem uma decoração em azul e branco, fazendo lembrar uma ilha grega.

E continuo a minha caminhada rumo ao farol. Por entre as ruas estreitas, as marisqueiras e os restaurantes de peixe fresco.
Passo para além, e atinjo uma zona mais solitária. Finalmente sinto a areia!!

Mas o objetivo foi abortado. O caminho para o farol estava vedado por questões de segurança.
Muito obrigada! Alguém se lembrou que há malucos para tudo...

De regresso cruzo de novo o Vila Galé e detenho-me a pensar na super vista que alguns quartos devem ter... e no cheiro a maresia que deve entrar pelas janelas...



E regresso ao pôr-do-sol. Que belo passeio, perdida no tempo, na vista e no furor das ondas.






Antes de entrar na Auto-Estrada ainda paro no Pão da Vila para um cházinho sem vista.
Adeus Ericeira, regresso ao meu mundo, perdida nos meus pensamentos acabo me enganando no caminho e ainda vou dar uma volta forçada à rotunda do Montijo.
O mundo oposto... que contraste!!