terça-feira, 23 de agosto de 2016

SEM ABRIGO

Uma pessoa, duas pessoas.
Muita gente passava na rua.
Muitos apressados,
outros menos.
Muitos com sorriso de férias,
outros normais, pensativos, metidos nas suas vidas.

Um homem sentado no chão, magro e de corpo enrolado,
esticava a mão a mendigar.
À primeira vista um homem de barba grande, cabelo grande e roupa escura ... nada mais.

Quem o vê? tão pequeno, tão sujo, tão enrolado, tão pequeno.

Duas pessoas: um adulto e uma criança.
O adulto passou como os demais ... mais um mendigo ... todos os dias há mendigos.
A criança passou e com olhar de criança chamou-lhe senhor.
- Tens uma moeda para aquele senhor? Parece tão triste ...

Voltámos atrás e vimos naquele homem o sorriso mais lindo dos últimos meses ... como ele estava atento ... como ele percebeu o sentir daquela criança ...
a moeda era pequena, mas ele percebeu o gesto e agradeceu com aquilo que tinha para oferecer:

   um lindo sorriso, que o transformou ... 
   e podemos ver naquele ser enrolado um rosto bonito.


Aquele senhor afinal tem um rosto bonito.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

ALENTEJO: LAGARTO


O Lagarto Lacerta lepida pode ser encontrado em toda a Peninsula Ibérica.
Caminha no solo e é um excelente trepador, mas prefere esconder-se em arbustos, rochas, muros, tocas/buracos. 
Opsss ... ele estava bem escondido, só o vi quando mexi nos barcos.

Mede entre 30 e 60 cm, podendo atingir os 90cm, e dois terços do seu tamanho corresponde à sua cauda.

Costuma hibernar entre Outubro e Abril, talvez por isso ainda não tinha tido o prazer de o conhecer.

Quando confrontado abre a boca e sibila, conseguindo saltar para o inimigo.
Opssss .... esta faceta dele é que não me agradou nada,
mas felizmente ele ficou bem mais assustado que eu, e fugiu. Uffa...


Não gostei nada de ser surpreendida por este bicho no meu território.

E se eu tivesse deixado a porta aberta??? lol, lol

E se ele me tivesse achado com cara de inimigo??? ;) ;)


Este "meu alentejo" tem com cada surpresa.

domingo, 21 de agosto de 2016

ALENTEJO: a minha BARRAGEM


A "minha" barragem é calma mesmo no Verão.
Calma e linda,
tanto de dia como ao luar.

Aqui não há motas de água nem barcos a motor,
e tudo graças à persistência e grande luta de quem deixou de fazer negócio para preservar o Silêncio e a paz que aqui se vive.
Obrigada a quem um dia desistiu de aceitar clientes com barco a motor.
Que coragem!!
Que valores ...

Eles são aqueles que comem à mesa com os empregados.
E os seus filhos servem no restaurante, 
e exibem um sorriso cativante aos seus clientes.

Eles são especiais.

E a "minha" barragem é especial também.

REFUGIO AVARIADO

O meu refugio avariou. Que triste. Era o meu refugio... e está inabitável.

Vão-se perdendo, uma após uma, pouco a pouco ...

Mas porque tem de ser assim?????

Qual será o próximo problema,
ou o próximo meu amor a desaparecer ...

Enfim ... neste mundo que tem tanta gente com fome,
em que nascem bebés deficientes,
em que existe doenças incuráveis,
...
o que é um refugio avariado??

Mas para mim é uma perda muito grande,
era o meu refugio.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

ALENTEJO: RIBEIRA de ALCÁÇOVAS

15AGO2016
Caminhada gratuita organizada pelo Projeto Alcáçovas Outdoor Trail


Hoje encontrámo-nos no jardim da vila das Alcáçovas, debaixo das suas sombras fresquinhas, para partilhar mais uma caminhada com este grupo amigo com atitudes de "família".

O clima estava fresco pelas 9h da manhã. E cheios de energia e alegria iniciámos o nosso percurso rumo à ribeira.

Passados 1,5 Km parámos num fontanário de água potável. Aqui perdemos temporariamente 2 elementos do grupo de umas 30 pessoas. Um que imprudentemente deixou o telemóvel dentro do carro e voltou atrás em passo de corrida, e o outro que simpaticamente ali ficou à espera para indicar o caminho até ao ponto de encontro.

São estes pequenos grandes gestos que caracterizam este grupo.

A vegetação era densa e alta. O caminho apresentava várias curvas, mas o grupo da frente foi deixando setas no chão para que todos alcançassem o ponto de encontro.


Caminhámos por zonas frescas, atravessámos linhas de água secas pelo Verão, caminhos de perdra solta, subimos e descemos zonas íngremes.








Incrivelmente, e neste Alentejo surpeendente, a maior parte do caminho passava por zonas de grande vegetação e sombra, e associado à proximidade da água da ribeira, o clima estava fresco e muito agradável para um dia de Agosto.

A Ribeira de Alcáçovas é mesmo o ponto alto do percurso. Apresenta uma tonalidade de verde, que embora provocada pela poluição dos químicos dos campos agrícolas das proximidades, contrasta com as cores da restante paisagem, e no seu todo proporciona um quadro muito bonito.





Silêncio, beleza, calma, sombra e frescura ... um bom local para me perder no Tempo. 
Ou
simplesmente ser reformado e vir à pesca, 
ou 
ter Tempo e vir marcar o percurso ... :)
ou
ser dia 15 e cá estar com o grupo :)

MUITO OBRIGADA à Organização que partilha estes locais escondidos neste Alentejo surpeendente.

sábado, 13 de agosto de 2016

PARAISO das AVES

Um dia, um entardecer, uma praia sem gente, calor agradável, Silêncio e Espaço.
E muitas, muitas, muitaaaaaas aves, 
é o paraíso das aves lol lol

O sol vai caindo, e a praia vai ficando deserta, só nós ...
a água estava gelada, mas aqueles 3 do grupo deliciavam-se no banho ... que inveja ... mas estava gelada demais ...

O Tempo??? esse parou ... naquele momento quente, laranja e repleto de aves. Os mais novos corriam pela praia fora assustando as aves, que assim poisavam para uma foto em voo. Cada um no seu Espaço ...

Este pôr-do-sol não soube a menta ... bebemos água de limão com canela ;)










quinta-feira, 11 de agosto de 2016

LISBOA: JARDIM AMALIA RODRIGUES

Um dia por acaso, a caçar Pokemons, encontrei o jardim Amália Rodrigues.
Localiza-se entre a parte norte do Parque Eduardo VII e as traseiras do edifício do el Corte Inglês.


No centro da cidade, tão perto do centro empresarial e do movimento das avenidas,
mas tão calmo e tão "distante". Os seus relvados e o seu lago ao centro, convidam a um relaxamento no final de um dia de trabalho.

A esplanada Linha d´Água deixa-nos com os pezinhos dentro de água ;)

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

EQUILIBRIO

No planeta existe o hemisfério norte e o hemisfério sul.
Quando uns têm noite, os outros têm dia e sol.
Há países pobres e países ricos.
Há maré alta e maré vazia.
A rosa dos ventos tem os pontos cardeais Este e Oeste, 
Sul e Norte.
Na escola aprendem-se os opostos dos adjetivos.

Parece haver um equilíbrio,

enquanto uns festejam e sorriem,
os outros mantém a lei do equilíbrio.

terça-feira, 9 de agosto de 2016

LISBOA: PARQUE das NAÇÕES


Caminho junto ao rio, debaixo da sombra dos pinheiros.
O calor é tremendo mas a sombra daqueles pinheiros é bem fresca.

O Silêncio é profundo ... poucas pessoas se avistam.
O rio está na maré vazia e as aves quebram o Silêncio com as suas "gritarias" e "zangas" ... o que estarão a discutir entre elas???

Ao longe sente-se o burburinho dos que preferem quebrar o calor com uns banhos salgados e uma boa exposição solar ... sente-se?



Mas ali no meio do nada, navega um pequeno Catamaran na imensidão do rio, perdido no Espaço e no Tempo.
Parece que os tripulantes escolheram para a sua pescaria, um cenário ainda mais silencioso que o meu ;) ;)


segunda-feira, 8 de agosto de 2016

DESCULPA

- Brain pede-me desculpa.
- Mas porquê Joel?
- Não te posso dizer, mas pede desculpa.
- Mas porquê Joel? Que fiz eu?
- Brian pede desculpa.
- Pronto Joel, desculpa ...

Então estás preparado para casar,
Estás preparado para manteres o teu grupo de Amigos,
E também estás preparado para seres um bom colaborador na tua equipa de trabalho.

Porque sempre que estiveres acompanhado tens que saber dar e receber,
saber ouvir e saber falar
e
saber até onde é que a tua liberdade colide com os sentimentos do teu próximo.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

SINTRA: VILA SASSETTI

Vila Sassetti já não é o refúgio estival do senhor Victor Carlos Sassetti, mas sim, um novo acesso pedestre entre a vila de Sintra e o Palácio da Pena / Castelo dos Mouros.

Embora já esteja aberto ao púbico desde 2011 ainda se torna uma novidade muito boa quando alguém é surpreendido com a sua exstência. Em vez de percorrer as bermas e alguns atalhos da Estrada, onde lentamente as filas de carros fazem o seu acesso ao Palácio da Pena, o percurso Sassetti permite ao caminhante um passeio tranquilo por entre um bosque de castanheiros e carvalhos. No centro do bosque surge a casa/palácio Sassetti, de arquitetura estilo romântico medieval, que em conjunto com os jardins do bosque que a rodeiam dá um toque de encanto a toda aquela paisagem.

Realmente o contraste é tremendo, entre o passeio lado a lado com os escapes, e a calma e frescura do andamento pelo bosque.

No percurso Vila Sassetti não falta sombra nem locais para descanso,
não falta paisagem para contemplar, 
não faltam linhas de água e lagos,
não faltam flores, arbustos, fetos e árvores altas,
não faltam escadas e grandes subidas,
não faltam caminhos estreitos e lindos pedregulhos,
não faltam pontes de madeira e obstáculos a transpor,
não faltam locais inéditos e lindos,
não faltam ... o encanto e o romantismo.

As entradas e saídas da vila Sassetti são feitas através dos portões Sul e Norte, que encerram às 18h na época alta.
Para além do portão norte o percurso continua até ao Palácio da Pena, passando pelo sopé do Penedo da Amizade, local bem conhecido dos amantes de escalada e Rapel ... hum ... ainda me lembro do oito que deixei cair pelo penedo abaixo ... opssss ... não atingiu nenhuma cabeça ...uffaaa

No extremo norte do percurso, quando o cansaço invade e a vontade de desistir aparece, eis que surge a última escadaria que dá acesso ao miradouro onde se tem uma ampla e espetacular vista do Castelo dos Mouros.
As árvores altas e os pedregulhos redondos fazem as delícias dos últimos metros até ao Palácio da Pena.













quarta-feira, 3 de agosto de 2016

LISBOA: FÁBRICA da NATA

Fábrica da Nata - gosto.

Gosto, não só porque nos conta a história do pastel de nata,
mas também porque nos oferece um interior bonito e agradável, 
decorado de forma moderna e antiga, e bem apropriado ao tema.



Gosto, não só porque tem pacote de açúcar em pó personalizado novidade,
mas também porque é uma loja de pastéis de nata em que se pode saborear os deliciosos de uma forma sossegada, com Espaço e Tempo, confortavelmente sentado.


Gosto, porque apesar de ser Verão ainda encontrei à hora de almoço alguns espaços vagos e Silenciosos.



Gosto, porque não vendem só pastéis de nata, uma deliciosa iguaria portuguesa,
mas também porque se consegue comer algo mais, tipo refeição.


Gosto porque ...
não só ... mas também ...
no seu todo, está uma ideia bem conseguida.